Negro na Formação da Sociedade Paraense, O (2a. edição, 2015)

Negro na Formação da Sociedade Paraense, O (2a. edição, 2015)
  • Valor R$ 72,00
  • Sem impostos: R$ 72,00
+
-


Errata: abaixo, a partitura corrigida do Lundu Chorado, página  222


O Negro na Formação da Sociedade Paraense

Ainda há muito o que ser descoberto sobre o trabalho de Vicente Salles A obra de Vicente Salles abrange várias áreas da cultura: história, antropologia, folclore, música, caricatura, literatura e o estudo sobre o negro no Pará. Tenho encontrado muitos textos inéditos, como o segundo e o terceiro volumes de A Música e o Tempo no Grão-Pará (foram editados o primeiro e o quarto volumes, ambos esgotados), obra importantíssima para a historiografia musical. Conversando com a jornalista e historiadora Rose Silveira, na XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro, em 2014, na Praça Vicente Salles, estande da Editora da UFPA, ela me informou que diversos livros de Vicente estavam esgotados, inclusive O Negro na Formação da Sociedade Paraense. Diante de seu argumento, procurei o professor Armando Alves, da Editora Paka-Tatu, para uma segunda edição. Houve uma grande receptividade, pois a primeira edição tinha sido realizada por eles. Portanto, estou muito feliz com a impressão da segunda edição de O Negro na Formação da Sociedade Paraense. É um trabalho que desenvolve vários aspectos da cultura do negro, em diversas épocas da história paraense. A reedição deste livro é muito importante para a história do Pará, pois aborda temas sobre a Cabanagem, a escravidão, os engenhos, os quilombos, a capoeira, o folclore, a música e outros assuntos. Estimulada por esse resultado, penso também em editar a obra inédita de Vicente por ser importante e abranger temas amplos da cultura brasileira. 6 Ultimamente, tenho me debruçado, com o olhar diferenciado, sobre a obra de Vicente Salles. O universo de Vicente me é muito familiar. Eu sempre o ajudava na organização e na limpeza de sua biblioteca. Na sua forma peculiar de trabalho, aparentemente bagunçada, ele sabia onde estava tudo. Sua memória era prodigiosa. Vicente desejava compartilhar e divulgar o conhecimento de tudo que pesquisou. Seu amor pelo Pará era muito grande. Até os últimos dias, ele se sentava ao computador, acrescentando novas informações ou corrigindo textos em seus escritos. Em qualquer lugar onde estivesse, estava sempre com um livro ou documento em suas mãos. Muito ainda se vai descobrir sobre o trabalho de Vicente Salles. Fico muito agradecida a todos que me têm ajudado nessa complexa tarefa de organizar e revelar a sua obra. Marena Isdebski Salles.

Resenha da obrahttps://redemunhando.wordpress.com/2016/02/29/o-negro-na-formacao-da-sociedade-paraense/

Escreva um comentário

Nota: O HTML não é traduzido!
    Ruim           Bom