Sobre a Paka-Tatu

Há 16 anos, transformando ideias em livros

O Primeiro Livro

O primeiro livro.

A Editora Paka-Tatu foi criada em junho de 2000 pelos professores Armando Alves, José Alves e José Maia, em Belém-PA. Teve como primeiro lançamento a obra Belém: Riquezas Produzindo a Belle-Époque (1870-1912), de autoria da professora Maria de Nazaré Sarges, do então Departamento de História da Universidade Federal do Pará.

Focada em produzir livros de qualidade na região Norte do país, a Editora Paka-Tatu estabeleceu parceria com revisores, diagramadores, ilustradores, tradutores e gráficas, o que levou a Paka-Tatu a se tornar uma das mais respeitadas editoras da Amazônia brasileira.

Maria de Nazaré ao lado dos editores da Paka-Tatu a noite de lançamento do livro de estreia

Maria de Nazaré ao lado dos editores da Paka-Tatu na noite de lançamento do livro de estréia.

O perfil editorial da editora tem a proposta de estimular a produção de autores regionais e a publicação de títulos sobre a Amazônia, sem que isso se constitua em amarras. Nesses últimos anos, ela tem diversificado o catálogo (mais de 300 títulos) que já contém títulos variados nos campos da Literatura (Poesia, Romance, Conto, Ficção, infanto-juvenil), da Filosofia, da Sociologia, da Ecologia, da História, da Antropologia, da Economia, da Política, do Direito, da Saúde, bem como didáticos e paradidáticos. Além das publicações inéditas, a Editora Paka-Tatu tem como proposta a reedição de obras importantes, de autores regionais e de autores não-regionais. Nessa perspectiva, já foram publicados, entre outros, os seguintes autores: Antonio Tavernard, Marques de Carvalho, Inglês de Sousa, Eça de Queirós, Machado de Assis, Gil Vicente.

Os livros da Editora Paka-Tatu estão presentes em várias cidades do país e no exterior. Para alcançar esse objetivo, foi montado um sistema de distribuição que procura alcançar os principais centros urbanos.




Editora Paka-Tatu, uma startup de tecnologia

Em 2011, a Paka-Tatu, percebendo a importância do uso de tecnologias da informação e comunicação em educação, deu um passo revolucionário para sua história: agregou novos sócios e parceiros, com elevado nível de expertise em áreas científicas e tecnológicas e com experiência no desenvolvimento de interfaces computacionais para ensino de Matemática (algumas já prestigiadas por programas como o Globo Ciência).

A Paka-Tatu tornou-se, efetivamente, uma startup de tecnologia voltada à produção de uma nova geração de livros didáticos digitais interativos. A Paka-Tatu entende que o livro tradicional ou digital deve ainda ter a capacidade de se conectar com um sistema web que utilize documentários, reportagens, aulas e simulações computacionais como instrumentos de aprendizagem, contextualizados em atividades interativas, e por meio do qual haja feedback aos alunos e conexão entre os professores e seus estudantes.

Esse sistema web pode ter grande impacto no processo de aprendizagem de qualquer disciplina e, pela abrangência e acessibilidade que pode ter, tornou-se a principal solução da Editora Paka-Tatu.

Para a implementação desse ousado projeto de inovação em educação, a Editora Paka-Tatu entrou em concorrência com outras empresas de inovação do país e conseguiu apoio de algumas das mais importantes agências de fomento: (i) da FINEP e FAPESPA, por meio do PROGRAMA DE INCENTIVO À INOVAÇÃO EM MICROEMPRESAS; (ii) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), por meio do Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas (RHAE).